Refluxo gestacional

A gestação é marcada por grandes mudanças no corpo e no organismo da mulher, para que possa comportar um bebê e essa vida seja gerada de uma forma saudável. Essas mudanças vão desde o inicio da gravidez, até o parto ou pós-parto, e os efeitos que elas causam nas gravidas geram desconfortos e incômodos, inclusive o Refluxo gestacional, que é tão comum.

Tão comum que até eu tive, não de forma tão intensa a ponto de enlouquecer com a azia, mas a ponto de sentir medo ao me deitar por sempre a comida querer voltar, e isso me acompanhou até o final da gestação, mas aos poucos sendo controlada com algumas dicas que segui e conto para vocês aqui nesse post.



Por que as gestantes tem refluxo gestacional?


Grande parte das gestantes, desenvolvem o refluxo gestacional, devido aos sintomas como azia e queimação, que é onde se apresenta o refluxo.

Na medida em que a gestação vai avançando, mais precisamente à partir do segundo trimestre, o útero em seu crescimento começa a comprimir o sistema digestivo, principalmente o estômago, fazendo com que a digestão fique mais lenta, levando a formação de gases e com essa compressão do estomago a comida chega a voltar para o esôfago, e dentre essas mudanças ainda as mudanças hormonais, com isso os sintomas do refluxo gestacional começam a aparecer e levar as gestantes a esses incômodos tão corriqueiros. 

O aumento de progesterona no corpo durante a gestação, também motiva o aparecimento de refluxo gestacional. Esse hormônio causa o relaxamento da válvula que separa o estômago do esôfago e, conseqüentemente, os ácidos gástricos sobem para o esôfago dando a sensação desagradável de ardência no peito e na garganta, assim como o gosto ácido na boca.


Como evitar o refluxo? 


O processo de prevenção do refluxo gestacional, é baseado em uma vida saudável.

- Exclua da sua dieta alimentos gordurosos, assim como frituras, chocolate e frutas cítricas;

- Evite qualquer tipo de bebida alcoólica, assim como o chá preto e o refrigerante;

- Procure fracionar as refeições durante o dia. O ideal é que seja realizado em torno de seis refeições diárias;

- Durante a refeição, mastigue bem os alimentos;

- Evite o hábito de beber líquido junto com as refeições;

- Consuma bastante líquido;

- Evite deitar logo após as refeições;

- Caso já esteja manifestando os sintomas, procure dormir em cama com a cabeceira elevada. O ideal é que se eleve a cama colocando, por exemplo, dois tijolos embaixo de cada pé da cama.

- Procure fazer leves caminhadas após as refeições, para acelerar a digestão.

Se mesmo com todos os cuidados, os sintomas ainda aparecerem ou persistirem, você pode consultar seu medico para a prescrição de algum medicamento que possa ajudar a aliviar esse problema. 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Comente aqui abaixo e venha compartilhar suas experiências e se estiver ao meu alcance tentarei ajudar você com qualquer dúvida!

Compartilhe no Google Plus
Ramonnielly Morais, Aquariana, graduanda em Publicidade, blogger, social media, mãe da pequena Júllia, apaixonada por praia, sombra, chocolate, música e moda. Através da maternidade descobri a melhor forma de amar e educar, e busco a cada dia lutar contra a violência infantil e viver a vida familiar da forma mais leve e amorosa possível.
Ramonnielly Morais

Aquariana, graduanda em Publicidade, blogger, social media, mãe da pequena Júllia, apaixonada por praia, sombra, chocolate, música e moda. Através da maternidade descobri a melhor forma de amar e educar, e busco a cada dia lutar contra a violência infantil e viver a vida familiar da forma mais leve e amorosa possível.

Cadastre-se e receba nossos artigos por e-mail!

0 comentários:

Postar um comentário