A mãe que fica/trabalha em casa e o verdadeiro lado da moeda

Você certamente é do grupo das mães que abriram mão de "n" coisas para cuidar dos filhos e da casa, do grupo das mães que decidiram ser home office para conseguir ficar mais tempo com os filhos, ou do grupo das mães que entendem as mães que fizeram essas escolhas e ouve absurdos por aí. 

mãe em casa


O verdadeiro lado da moeda, dessas mães que renunciaram a independência e tantas outras coisas por suas família, é muito além dos comentários que ouvimos diariamente, e que chegam a nos deixar de cabelo em pé de tão absurdos que são. Nessas horas um pouco de noção na cabeça dessas pessoas seria perfeito!

Na cabeça de algumas pessoas, minhocas dizem que, mãe que fica em casa não faz nada, deve ter uma vida maravilhosa, com horários livres, com o tédio subindo a cabeça, os filhos são uns anjos, não dão trabalho algum, ela é totalmente dependente do marido e a casa se organiza sozinha. Que bacana, não? Maravilhoso esse conto, se não fosse a parte da dependência do marido!! Por que depender do marido seria se até ele fizesse o que a gente faz, fazemos tudo e não ganhamo$ nada. hahaha

Mas na verdade, nós que não devemos satisfação alguma a esse mundo e as pessoas que nele habitam, vivemos uma realidade totalmente contrária a essa que pintam. A mãe que fica/trabalha em casa, tem uma vida tão farda, quanto a de outras pessoas que trabalham de sol a sol, e nem salario recebemos pelo que fazemos. 

Tudo se resume a acordar cedo, dá conta de todas as necessidades dos filhos, dá conta de horários, fazer as refeições, organizar a casa, que quem tem filhos pequenos sabe que é um desafio em tanto que vencemos todos os dias, e ainda temos que dá conta de nossas necessidades. 
Sim!! Nós temos necessidades igual a qualquer pessoa comum! 
Incrível né?
Precisamos comer, tomar banho, escovar os dentes, pentear o cabelo, usar o banheiro e tudo acompanhada de 1, 2, 3 ou mais filhos. 


mãe em casa


E depois disso tudo, ainda chegam aquela pessoa amável na sua casa, vê brinquedos espalhados, algumas coisas fora do lugar e depois diz que deve ser o máximo ficar em casa sem fazer nada! 

OI?

E a parte de que acabamos de arrumar tudo, e uma criança em forma de flash sai espalhando tudo e a gente se entrega as brincadeiras? E a parte de educar que as pessoas esquecem? E o trabalho de dona de casa? 

Pois é, acaba todo mundo esquecendo e acabamos sendo rotuladas de "vagabundas" porque não trabalha para sustentar os filhos, ou que é uma desculpa para não trabalhar, de péssima dona de casa por não deixar ela sempre um brinco e péssima mãe por não ter um filho adestrado.

E ainda não falamos das mães Home Office, que pior ainda, dizem que elas trabalham bem menos, na hora que quer e faz o serviço quando quer. Pois é, mau sabe essas pessoas que acordamos primeiro e dormimos por último, 8 horas de trabalho é luxo pra gente, e que enquanto assumimos a função Home office, também assumimos a função mãe e dona de casa. 

Facílimo dá conta disso tudo ao mesmo tempo né, então vem fazer melhor no meu ou no lugar de outra mãe na mesma situação!

O verdadeiro lado da moeda, é que essas mães em sua maioria já foram profissionais de empresas, que trabalharam de carteira assinada, eram estudantes, buscavam uma independência e chegaram a bater o pé falando que isso lhe pertenceria ainda quando os filhos chegassem. E pertenceu a essa realidade até a gestação, até conhecer suas limitações, o sentimento de uma mãe e a necessidade de se estar cuidando de seus filhos de perto, sem terceirizar os cuidados e a educação, de se sentir segura antes de dá o passo de voltar a trabalhar e deixar seus filhos aos cuidados de alguém. 

Viver para cuidar da casa e dos filhos, não é uma decisão dificil, é uma decisão das mais complicadas que nós mães tomamos, é abrir mão de tanta coisas, em prol de uma única coisa que vale mais que tudo. É se ver na incerteza do que vem pela frente, é se doar 24 horas para ver tudo caminhar da melhor forma, é não ter descanso, é enxergar a sua frente apenas os filhos. Muitas delas queriam estar trabalhando em algum lugar, queriam acordar cedo deixar os filhos na escola, ir para a empresa e garantir seu salario e encontrar os filhos no final do dia e apenas curtir eles e matar a saudade, mas para essas mães o coração não permitiu, a vocação de ser mãe falou mais alto e pediu total disponibilidade delas enquanto confiou no marido, no pai da criança para que arcasse com as despesas enquanto ela assumia o papel de educadora, dona de casa e home office.

E as mães que precisaram ir trabalhar por não ter um apoio? As que todos os dias sentem o coração chorar enquanto deixa seus filhos e ela se despedem e os reencontram no final do dia? E as mães que queriam poder dedicar todo seu tempo e dá uma atenção de qualidade a suas crianças?

É difícil estar na pele dessas mães, e é fácil julgar o que seus olhos de outros querem ver! Todas as mães deveriam ter o direito de escolher o que quer fazer, trabalhar fora ou ficar em casa, só diz respeito a elas, a nós. 

Eu fiz essa escolha, preferi ficar em casa com a Júllia quando ela nasceu, um pensamento que só me veio depois da metade da gestação, tudo isso por ver que o mundo hoje tem oferecido cada vez menos coisas boas a nossas crianças, e esperar ela saber se comunicar melhor, demonstrar seus sentimentos e falar com clareza as coisas me traria confiança para voltar ao mercado de trabalho e poder colocá-la na escola. Antes eu gostava de estudar e trabalhar, me via independente e buscava isso para meu futuro, não achava que ter um filho mudaria tanto em mim, que após o período de amamentação eu conseguiria me recolocar no meu posto, mas foi diferente, minha escolha mudou quando passei a enxergar o mundo como mundo e a me ver mãe. E vejo que com muitas outras mães pode também ser assim!

Você mamãe que fica/trabalha em casa, não dê ouvidos a essas más línguas. Você é guerreira, você é digna de gratidão, reconhecimento e de ser valorizada, pois por mulheres como você temos amor dentro de nossos lares e crianças felizes. Mulheres que trabalham também merecem ser reconhecidas por sua batalha e sua força em conseguir estar longe de seus filhos todos os dias.

E você que acha que uma mãe home office não faz nada, tentar aguentar 1 dia na pele dela, que você irá vê onde dói o calo, e que com muito amor elas desempenham esse papel. 
Compartilhe no Google Plus
Ramonnielly Morais, Aquariana, graduanda em Publicidade, blogger, social media, mãe da pequena Júllia, apaixonada por praia, sombra, chocolate, música e moda. Através da maternidade descobri a melhor forma de amar e educar, e busco a cada dia lutar contra a violência infantil e viver a vida familiar da forma mais leve e amorosa possível.
Ramonnielly Morais

Aquariana, graduanda em Publicidade, blogger, social media, mãe da pequena Júllia, apaixonada por praia, sombra, chocolate, música e moda. Através da maternidade descobri a melhor forma de amar e educar, e busco a cada dia lutar contra a violência infantil e viver a vida familiar da forma mais leve e amorosa possível.

Cadastre-se e receba nossos artigos por e-mail!

2 comentários:

  1. Nossa, disse tudo e mais um pouco. Eu nunca sonhei em ficar em casa... mas depois do segundo filho, de perder dias de trabalho com eles doentes, da culpa me corroendo por deixar na escola com febre o dia todo, eu decidi ser home office. Mas o engraçado é que todo mundo acha que eu estou em casa sem fazer nada. Mas só nós, mães que estamos em casa, sabemos o que realmente damos conta de fazer... e ainda nos sentimos mal porque não damos conta de tudo... mas quem daria não é?
    Adorei o post!
    Beijos
    http://www.mamaeaprendiz.com/

    ResponderExcluir
  2. Mãe que fica em casa, trabalha dobrado, eu sou um exemplo! bjo
    Cibele

    ResponderExcluir